Fotografia, Arte e Poesia



quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Motivo (Cecília Meireles)




Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem triste:
sou poeta.
Irmão das coisas fugidias,
não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.
Se desmorono ou edifico,
se permaneço ou me desfaço,
- não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.
Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno e asa ritmada.
E sei que um dia estarei mudo:
- mais nada

2 comentários:

Filipe D. disse...

O desesperro e a necessidade de uma beleza que só se faz quando cantada.

Essa eh a necessidade dos nossos dias.

Legal o blog.

Virei mais vezes!
=)
Teh mais ver!!!

Anna Prosa e Versos disse...

AH,CECILIA SEMPRE...QUEM SOU EU...SIMPLES MORTAL... NA POESIA SOU A SAUDADE,ABRAÇOS.