Fotografia, Arte e Poesia



terça-feira, 22 de dezembro de 2009

O Vento na Ilha


(Pablo Neruda)

Vento é um cavalo:
ouve como ele corre
pelo mar, pelo céu.
Quer me levar: escuta
como ele corre o mundo
para levar-me longe.
Esconde-me em teus braços
por esta noite erma,
enquanto a chuva rompe
contra o mar e a terra
sua boca inumerável.
Escuta como o vento
me chama galopando
para levar-me longe.
Como tua fronte na minha,
tua boca em minha boca,
atados nossos corpos
ao amor que nos queima,
deixa que o vento passe
sem que possa levar-me.
Deixa que o vento corra
coroado de espuma,
que me chame e me busque
galopando na sombra,
enquanto eu, protegido
sob teus grandes olhos,
por esta noite só
descansarei, meu amor.

5 comentários:

o escriba disse...

Votos de Feliz Natal!

Um abraço
Esperança

*-*WinniE*-* disse...

Você aparenta ser muito sensível. Uma graça seu blog! Sucesso

Cristina e Márcia disse...

Oi Thiago
Esse vento me levou... adoro Neruda!!!

Viemos deixar uma mensagem que escrevemos para os amigos:
"Natal, momento de refletir, expulsar do coração as mágoas, deixar penetrar a bondade, e tornar o tempo cúmplice de sua felicidade..."
Desejamos que em 2010 o Universo conspire a seu favor!
Beijos das sonhadoras surtadas, e tatuadas pelo tempo,
Cristina e Márcia

Poesias e Canções disse...

só por hj ,deixe-me ser mais uma vez vento e descansar arrebatando a alma dos poetas,sentindo o aroma das rosas desetaladas e pisadas pela dor do amor,e levar-las prá longe e dançar até cansar e fazer a curva ou deixar as curvas deslizarem como espuma do mar no corpo ...enfim...deixe-me ser vento e respirar e desfrutar da própria respiração...

Poesias e Canções disse...

só por hj ,deixe-me ser mais uma vez vento e descansar arrebatando a alma dos poetas,sentindo o aroma das rosas desetaladas e pisadas pela dor do amor,e levar-las prá longe e dançar até cansar e fazer a curva ou deixar as curvas deslizarem como espuma do mar no corpo ...enfim...deixe-me ser vento e respirar e desfrutar da própria respiração...