Fotografia, Arte e Poesia



quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

SEM NADA




Sem terra
Sem pátria
Sem grana
Sem raça
Sem gana
Sem culpa
Sem mágoa
Sem trilha
Sem rumo
Sem fome
Sem sede
Sem dente
Sem cultura
Sem música
Sem qualidade
Sem sexo
Sem identidade
Sem alegria
Sem porre
Sem alergia
Sem graça
Sem igualdade
Sem puta
Sem vaidade
Sem malandragem
Sem droga
Sem Ubatuba
Sem orgia
Sem censura
Sem risco
Sem preço
Sem juízo

(Poesia do livro cenas do cotidiano)

3 comentários:

Sentidamente disse...

De facto, sem ter pelo menos uma parte de tudo isso, não se tem vida. Nem mesmo se será um vegetal como por vezes se diz de quem não vive.
Agradeço a visita ao meu espaço.
Até sempre.

Paulo Tamburro disse...

OI THIAGO, e "sem comentários", pois, ficou esplêndido, e se comentar estraga o conjunto da obra.

Parabéns.

Na oportunidade gostaria de convidá-lo para visitar meu blog de humor:

'HUMOR EM TEXTO"

É de graça(rs).

Um abração carioca, feliz Natal e fique co DEUS!

Poesias e Canções disse...

sem nada... ?
Quase!!!
Porque não tendo ouu sendo nada ,expressaste muitas emoções!!!
Não há como não ser nada,se formos alguém!
Parabéns por seus versos...recheados sempre de emoções e reflexões!
beijinhos doces